Eu sei o que ela tem,

Tem ao chegar nostalgia,

Ao caminhar sem destino pela história,

Mistura de raças,

Vitória!

 

Bahia terra da alegria,

As praias expõem a poesia,

As belezas escondidas em cada ladrilho,

Caminho bem acompanhado,

Nunca estive sozinho.

 

Conheci e fiquei extasiado,

Enquanto caminhava no Pelourinho,

Entendi porque todos se apaixonavam,

Mesmo essa terra sendo tão distante,

As belezas distribuídas aos montes,

Escondem um traço de sofrimento.

 

Mas falar de tristeza torna-se pecado,

Quando vemos tanta alegria em pequenos traços,

Bahia abra seus braços,

Recebe seus filhos,

Naturais e postiços,

Brancos, negros e mestiços,

Filhos felizes de uma mãe escolhida,

Filhos de um estado forte que respira Vida!

 

Bahia tem carnaval,

Tem o corpo cheio de curvas da morena,

Reflete o sol,

O dourado da pela da pequena,

Desfilando por entre ruas e trios,

Onde músicas, batidas têm cultura.

Em meio à vida dura, há cultura.

Nos tambores que descem a ladeira,

Em meio às grandes igrejas, esculturas,

E tão belas figuras passeiam pelas ruas.

Donas de si, senhoras das vidas,

Ó baianas, Ó Bahia!

 
Tantas paixões, tanta poesia em cada esquina.

Ó Bahia, na beleza do tom da voz de suas meninas.

Nas batidas para os orixás,

Na troca de energias, na beleza de se estar lá.

De estar na terra querida, ó Bahia!