Perde-se no conforto de um abraço forte,
Não se importe com o corte feito em sua rotina,
Pare de admirar o mundo apenas por sua retina,
Aproxime-se do outro,
Queira sentir o seu corpo,
Permita-se sentir e permita que o outro lhe sinta,
Não se entregue a rotina, não minta!
Não finja que o virtual substitui a presença,
Não demonstre somente por linhas aquilo que tu pensa!
Resista à distância!

Queria sentir as mãos suadas,
A pele grossa ou suave,
Sinta o perfume,
Se entregue ao sentir da pele,
Mas não se distancie!
Se perdeu o costume, recrie!
Não importa se neles confie,
Tenha alguns amigos aos quais você possa tocar,
Que lhe permitam os encontrar,
Algo beber, algo fumar ou apenas conversar.
Tenha ao menos alguém para cumprimentar,
Para sentir que suas mãos fazem algo além de digitar.
Queira se entregar!
Não seja isoladamente sociável ou socialmente isolado,
Queira contato, queira um afago,
Queira estar vivo!

F.T. Hudson