Como o vento que muda as dunas diariamente assim mudo de ideia,

E decidi que dentro de minhas metamorfoses aproveitarei cada mutação,

Não me preocuparei se hoje tenho asas, mas amanhã não.

Viverei toda a espécie de transformação,

Terei cada dia uma aparência, uma ideia, uma vocação,

Acredito que não perderei totalmente a essência,

Assim como não perco minhas lembranças ao mudar o endereço pra correspondência,

Mas o resto sofrerá mutação,

E será constante,

Impactante,

Serei cada dia diferente,

Talvez seja difícil acompanharem essa corrente,

Mas sinto que nela navego mais calmamente do que buscando controle,

Ancorado, me sinto meio amarrado, meio escasso de amores pela vida,

Certas vezes cheguei a acha-la comprida para viver com tanta tarefa cumprida,

Mudando vejo uma incontável gama de afazeres,

Acredito nem conseguir cumprir todos os deveres,

Mas o que importa?

Se nessa vida o gostoso é estar em movimento,

Seja cerebral, cardíaco, espiritual, corpóreo, viajando a todo o momento,

Despertando novos sentimentos,

Metamorfoseando a contento,

Vivendo.

F. H.