Um tapa na cara,
Carícia da polícia,
Notícia que invade em piadas da “Sherazade”,
Adeptos da maldade,
Na casualidade de uma morte nada casual,
Um pobre a menos não é nada mal,
Ainda que o gatilho seja puxado por outro miserável,
Vítima de seu salário arrastado,
Em sua academia manipulado,
E a academia de estudados dá seus gritos calados atrás dos muros dos abastados,
E quem está preocupado?
Quando morre era só um coitado,
Deixa um filho bastardo e um cartão pra sustentar,
Mas não é cartão de banco é auxílio fome que a classe média quer tirar!
Que sufoco!
Gritar no mundo oco e esperar alguém escutar,
Por mais eco que faça, alguém vai silenciar,
No país onde deputado quer a deputada estuprar,
Ou não quer e que mal há?
Quê?
Mais violência para normatizar?
Mas não era em nome de deus que ele estava a falar?
Não consegui copiar!
E você vem perguntar por que um boneco aqui não quero colocar?
Ah vá!

Felipe Hudson