O cachimbo acesso na escuridão,
Não repercuti seu clarão,
As brasas acesas por muitas piscadas de isqueiro,
Passam despercebidas como algo corriqueiro,
Não importa se as tragadas afligem-lhe o peito,
Não importa se o coração parar em meio ao beco estreito,
A margem da comunidade não existe o tal respeito.

Com tua família resguardada sua alma caminha cândida,
Se nas férias seus dois filhos se esbaldaram na Disneylândia,
Pouco importa quantos meninos se apertam na Cracolândia!
Quer um cercado pra essa escória pra te afastar de tal pecado?
Que seu filho não enxergue um lugar tão degradado!
Internar não tem mais jeito que tal se forem enterrados?

Reduz a maioridade e omite a realidade,
Que o que falta pra esse povo na verdade é escolaridade,
Cultura e diversão e inclusão nesta cidade,
Falta muito é verdade!

Talvez sua alma descanse e não seja incomodada,
Com uma boca sem dente no vidro a lhe pedir alguns trocados!
Mas que cidade mais horrível e que povo marginalizado,
Acho que esses governantes deveriam estar preocupados,
Em manter esses drogados em um lugar mais afastado.

Nossa! Como se assusta quando olha para o lado!
E vê que na realidade não está tão resguardado,
O perigo está por toda parte,
Não se sente confortável?
Nem mesmo aí sentado no seu carro importado,
Com ar condicionado, direção e vidros blindados,
Por isso que não gosta da cidade e seus pecados?

Quer voltar pra Higienópolis?

Lá ninguém anda armado,
O sentimento é esvaziado,
Lá a vida é medida em quanto eu tenho em trocados,
E trocando em miúdos, você é bem abastado!
Volta pro seu apartamento vai queimar seu baseado,
Fecha os olhos e relaxa em seu mundo encantado.

Felipe Hudson