Uma pena que nosso futebol tenha perdido a poesia de Pasolini,

Mas quem se importa com futebol?

E quem se importa com poesia?

Prosa sempre deu mais dinheiro,

Mas talvez nem a prosa de Pasolini o bate-bola tenha!

Talvez agora sejam apenas grandes trilogias,

Com muito dinheiro e muita propaganda,

Afinal, quem se importa com poesia?

Seja ela na rua, no gueto, na periferia,

Nas paginas dos livros ou na artilharia,

Quem se importa com futebol?

Quem se importa com poesia?

Felipe Hudson