Quem se preocuparia,
Sendo tão desumano o legislador,
Legislar com amor,
Ou por direitos humanos?

Quem em meio à tamanha desonestidade,
Se preocuparia apenas por um momento,
Em falar simplesmente a verdade?

Quem derramaria lagrimas pela presença,
Ciente de que não compensa,
Derramar lágrimas de saudade?

Quem além dos legisladores,
Agiria com tamanha agilidade,
E usaria tamanha habilidade,
Apenas para reduzir a maioridade?

Quem veria com normalidade,
Tal ato ou barbaridade,
Que votado por uma maioria não tem representatividade?

Quem ainda que concorde,
Em encarcerar todos os jovens,
Sem dar-lhes ao menos educação,
Pode considerar-se são,
Ou nos considerar sociedade?

Quem?

Felipe Hudson