Arrancar sorrisos é tudo que preciso,
Sou um arrancador de sorrisos,
Sempre vivi disso,
De arrancar sorrisos,
Mesmo quando desiludido,
Alimentava-me de sorrisos,
Belos, tímidos, ariscos,
Quase gargalhadas,
Meu prato preferido eram sorrisos,
Seja através de piadas,
Simples anedotas,
Bancando o idiota,
Seja através de qualquer artifício,
A meta era de alguma forma,
De algum modo,
Arrancar sorrisos,
Mesmo que amarelados de início,
Eram sorrisos,
Era o meu fortificante,
É tudo que preciso!

Pois de algum modo,
Depois de crescido,
Iludi-me que podia ser feliz arrancando lágrimas,
Que faria igual sentido,
Em meio a encantamentos,
Estive perdido,
Ao luxo das lágrimas iludido,
Ao rosto fechado e carcomido,
Apaixonado por lágrimas,
Esqueci-me dos sorrisos,
Tempos amargos,
Coração encolhido,
Vistas turvas,
Nenhum sorriso amigo,
Nenhum amor,
Próprio ou sortido,
Que fizesse sentido.

Até que recordei um sorriso,
Largo, de amor, de amigo,
Tudo novamente fez sentido,
Pois tudo é da minha natureza,
Sou um arrancador de sorrisos,
E o melhor é o fato de que só posso arranca-los, pois pude planta-los.

Felipe Hudson