“Minha vida é fantástica! ”
Dizia a linda jovem estática,
Parada em sua suavidade,
Ao filosofar em tenra idade,
Sobre milhares de oportunidades,
Que surgiram assim,
Sem muito esforço,
Em sua porta,
Bastando apenas recepciona-las com um sorriso leve,
Com desapego!
Gratidão e leveza era o que havia em seus olhos.
Nos meus…espanto!
Espanto ao ver tamanha felicidade por estar viva,
Por reconhecer a beleza da vida,
Entendi que nunca ao me lado aquela palavra foi proferida,
Ninguém onde nasci acha “fan-tás-ti-ca” a vida!
E nem “sen-sa-ci-o-nal” um simples kibe,
Não lembro de existir um sorriso igual na periferia,
Tão pouco na Avenida Rio Branco,
Não me recordo de tamanha leveza,
E passei a me fazer tal pergunta:
Quem roubou nossa alegria natural e nos destinou à tal tristeza?
De não ver na vida beleza,
De viver na incerteza de um dia perceber-se vivo.

Felipe Hudson