Entre cargas e sobrecargas respira em meio a escombros,
Às vezes a carga parece leve,
Mas na maioria dos dias fere os ombros,
Sufoca,
Respira-se com dificuldade sob o concreto,
Quase não se respira quando se torna objeto,
O silêncio é pesado e faz com que o sorriso ceda,
As rugas avançam,
O homem se arrasta,
Arrasta,
Mas não se desvencilha dos escombros,
Resolve ficar imóvel,
Guarda forças,
Um dia será livre!

Felipe Hudson