O teclado sempre alivia minha alma,
Os solos de guitarra também,
A voz por vezes selvagem,
Por vezes macia, acalma,
Acalanta meu coração,
O “silêncio” dos longos e demorados solos instrumentais,
As divisões sonoras onde não existem coadjuvantes,
Todos têm seu momento!
A poesia livre,
A viagem psicodélica e a simplicidade,
As portas abertas para outro mundo,
Um mundo aberto através das portas,
E de “Light My Fire” até “An American Prayer” tudo se sente,
Alegria, angústia, calma, agitação,
Um esvaziar da mente,
Paz e solidão!
Quando se juntaram, não sei ao certo qual era a intenção,
Mas hoje agradeço!
“This is the end, Beautiful friend,
This is the end, My only friend, the end!”
.
.
.
.
.
.
.
Felipe Hudson