Maria e João
Maria sovava o pão,
João comia,
Comia a maior parte,
E as migalhas pra Maria.
João e Maria,
João se achava o ganha pão,
Maria ganhava pano de chão,
João chamava de justiça,
Mas ninguém perguntou à Maria!
O tempo e as mudanças,
Pouco se viu mudar após tamanha andança,
João ainda pensa comandar a dança,
Maria já não segue os seus passos,
João lhe questiona o descompasso,
Maria só deseja mais espaço,
Pano e vassoura lhe causam cansaço,
João se acha descolado,
Descobriu onde está o pano de prato,
Maria também lhe apresentou as panelas,
De quebra lhe mostrou a pia.
Abriu as portas de sua casa e vislumbrou alegria.
As mudanças e o tempo,
Maria é João,
João é Maria,
Maria João,
João Maria,
A igualdade se faz presente,
Ainda que em versos de poesia,
A diferenças se entrelaçam,
E o respeito não é mais ironia! Ou assim deveria…
.
.
.
.
.
.
.
Felipe Hudson