Acordei pensando em parceria,

Pensando em como seria se existisse,

Se a vida fosse como nos filmes,

Ou como a velha canção me disse,

Se existissem amigos leais,

Se eu fosse leal aos meus ideias,

Se existissem pessoas legais,

Razoáveis talvez,

Se este texto fosse lido sem críticas,

Apenas como reflexão de nossos papéis,

Se fosse ao menos lido,

Se as escolhas da vida fossem como escolhas em barracas de pastéis,

Tomadas por vontade própria,

Sem pesados reflexos,

Apenas para satisfazer o gosto ou a vontade,

Nada muito complexo,

Nada de vaidades,

Decidir entre carne ou queijo,

Entre abraço ou beijo,

Entre ficar ou partir,

Tranquilo,

Sem a necessidade de sorrir,

Sem obrigação de refletir,

Ou fingir,

Mentir,

Fugir,

Poder interagir por vontade própria,

Caminhar sem buscar a glória,

Por opção,

Não por menosprezo da história,

Deixar de ser visto como escória,

Por viver de forma simplória,

Ler tudo que se pode,

Poder comentar,

Sem se sentir inseguro porque alguém vai lhe julgar,

Deixar de fingir como a maioria,

Pouco se cobrar,

Se ao menos pudéssemos viver,

Sentados em barracas de pastéis.

.

.

.

.

.

.

.

Felipe Hudson