Em tempos de rede sociais,

O sentimento morreu,

Até o choro é programado,

E mensurado em quantos “likes” rendeu,

Não se gasta emoções por qualquer coisa,

Emoção é moeda rara,

Em corpos secos,

Poucas lágrimas,

Em corações gelados a emoção é cara!

Empáticos são engolidos por falsos simpáticos,

Por serem raros são excluídos,

Compreendidos como fracos por não serem compreendidos,

Justamente por aqueles que tudo compreendem,

Eis a ironia deste presente,

Preocupa-se com tudo que rende,

Invejam aqueles que mentem,

E caem todos sentados diante da realidade,

De que não existe verdade,

E a questão de ser racional é pura irracionalidade,

Optar por uma vida sem sentimentos,

Por vaidade,

Desconhecer a empatia,

Investir no egoísmo,

Buscando aprovação de todos,

Só para morrer sozinho,

Buscando atenção,

Mas se esquivando do carinho,

Resistente como uma pedra,

Frio, sólido, e moldado pelas circunstâncias,

Mas sem personalidade!

Sentindo-se especial em meio a pedreira,

Repleto de frieza e arrogância,

Vivendo a eterna infância!

.

.

.

.

.

.

.

Felipe Hudson