O que é isso Companheira?

Por que partiu dessa maneira?

De forma tão abrupta,

Contra sua vontade,

Por mãos corruptas,

Deixando uma enxurrada em prantos,

Partiu em um solavanco,

Partiu,

Em uma rajada de tiros de fuzil,

Com precedentes,

Com antecedentes,

Partiu de forma bruta e irônica,

Por morrer como inúmeras vezes denunciou,

Por morrer pelas mãos que sempre acusou,

Não sem provas,

Não sem embasamento,

Morreu pelas mãos de um sargento,

Um militar,

E em meio a tanta tristeza,

Tanto sofrimento,

Uma dúvida ficou no ar,

Quem contratou o sargento?

Quem mandou matar?

Quem espalhou o seu sangue pelo Rio?

Sangue que escorreu por todo Brasil,

Que manchou de tristeza as maiorias defendidas por você!

Porque você nos ensinou que somos maioria!

Porque com você eu aprendi que o sofrimento diminuiria,

Bastava lutar!

E você foi guerreira!

Companheira!

Mulher forte!

E de nós arrancaram essa sorte,

De lhe ter como guia,

Nossa advogada,

Nossa companhia,

Tomada pela morte,

Não pouparam sua pele,

E dia após dia acordo com a mesma pergunta, o mesmo pranto:

Quem mandou matar Marielle?

Quem mandou matar Marielle Franco?

.

.

.

.

.

.

.

Felipe Hudson