Na mesa caíram os búzios,

Era fala de orixá,

Vieram trazer um recado,

Disseram pra eu me cuidar.

 

A contenda é comigo mesmo,

Não posso ninguém mais culpar,

Falaram que minha língua é grande,

Pediram pra eu me cuidar.

O conselho foi claro, preciso,

Mandaram a língua eu guardar,

Se o assunto não for comigo,

Pediram pra eu me calar.

 

Na mesa caíram os búzios,

Era fala de orixá,

Vieram trazer um recado,

Disseram pra eu me cuidar.

 

Pediram para controlar os excessos,

Para me atentar ao comunicar,

Palavra solta não tem regresso,

Pediram pra eu me cuidar,

Em palavra de santo eu acredito,

Não tem porque não acreditar,

Já confiei em um mundo perdido,

Por que do santo iria duvidar?

 

Na mesa caíram os búzios,

Era fala de orixá,

Vieram trazer um recado,

Disseram pra eu me cuidar.

 

O santo foi claro e direto,

A conversa foi em yorubá,

Disse que não me faltaria um teto,

Mas pediu para eu me cuidar.

A mensagem chegou do Orum,

Trazida através de Ifá,

Orixá que nos mostra o destino,

Porta-voz de Orumilá,

Exu foi quem abriu o caminho,

Para as mensagens nos búzios chegar,

Iansã, Omulu e o Oxum para minha graça pintaram por lá.

 

Na mesa caíram os búzios,

Era fala de orixá,

Vieram trazer um recado,

Disseram pra eu me cuidar.

 

Se tenho quem me olha o destino,

Um bom santo para me avisar,

Pra trilhar o melhor dos caminhos,

Só basta o santo escutar,

A vida poderá ser mais fácil,

Nos desígnios de Oxalá,

Alimentando o caminho correto,

Não há com que se preocupar!

 

Na mesa caíram os búzios,

Era fala de orixá,

Vieram trazer um recado,

Disseram pra eu me cuidar.

.

.

.

Felipe Hudson