Nossos caminhos se encontraram novamente,

Na encruzilhada estava aquele velho, como sempre presente,

Carcomido pelo tempo,

Um sobrevivente convicto,

Estruturas firmes, ainda que abaladas pelo tempo,

Lá estava aquele velho com seus fantasmas e encantamentos,

Suas histórias acumuladas por cada parte do corpo,

Não podia se sentir vazio,

Não conseguia viver só,

Lá estava aquele velho,

Soterrado, na espreita,

Buscando alguém que lhe tirasse o pó,

Lá estava,

Antiquado, mas sempre na moda,

Disposto a ajudar,

Disposto a ser “uma mão na roda”,

Como diziam em tempos passados,

Tempos onde o velho já havia participado,

Como observador ou simples coadjuvante,

O velho já foi amado,

O velho já teve amantes,

O velho viu as coisas deixarem de ser como antes,

O velho viu mudar todo o entorno,

Viu livros entrarem e saírem de suas estantes,

Viu chegadas, partidas e também viu retornos,

O velho viu pessoas perderem suas cores e seus contornos,

Viu fé, viu dúvida, viu dor e sabor, viu crise e rancor, viu fuga, frio e calor,

Viu vida e amor,

O velho viu gerações,

Ouviu bater diferentes corações em diferentes situações,

Soube de corações que pararam de bater,

O velho acompanha,

O velho já foi moço,

Já ostentou charme e foi formoso,

O velho é meu desafio,

O velho é meu retorno,

Me entender com o passado,

Escrever novos contornos,

Deixa-lo agradecido pela estadia,

Deixa-lo com um sorriso de intimidade,

Em um abraço apertado,

Abraço de amizade,

Guardar apenas boas lembranças do velho,

Esquecer os rancores,

As más águas das mágoas,

Guardar apenas os amores, sabores,

Me reencontrar com o velho em busca do novo,

Me reencontrar comigo,

Um verdadeiro retorno,

Porquê retornar é ouro quando valorizamos nossas origens.

 

 

Felipe Hudson