Nosso amor é tão intenso,

Ainda que a sombra dos dias tristes,

Que fantasmas envelhecidos em meu olhar habitem,

Sinto o coração apertar quando vejo seu carro acelerar e partir,

Como se a cada metro um pedaço do meu coração estivesse jogado pelo asfalto,

Sinto aquele último riso alto invadir meu peito,

O acolhimento de um abraço apertado e a pressão contra seu peito,

Sinto o amor!

E ele me deixa aquecido até as próximas férias!

E só nos resta retornar as aulas,

E aprender a esquecer os sentimentos,

Desaprender a amar,

Para aprender a “viver”, como a sociedade nos diz que é a vida,

Cansativa, opressora e difícil de ser vivida,

Aprender que nosso romantismo é tolice,

Que talvez valha a pena a vigarice,

E que apenas o que tem valor monetário importa,

Todo resto são sonhos,

E sonhos não se compram,

E o que não se compra não tem valor em uma sociedade consumista!

Somo apenas românticos,

Com todos os nossos sentimentos e sonhos em uma feira de adoção,

E quem em meio a tanto egoísmo adotaria um coração?

Espero que em breve cheguem as férias…

.

.

.

Felipe Hudson