Contamos nossos dias em cartelas de remédios,

Alguns para dormir,

Outros para suportar viver acordado,

Vitaminas, antigripais, antiácidos, ansiolíticos,

Drogas para períodos amáveis,

Drogas para períodos políticos,

Outros se viciam em religiões,

Alguns em promessas de sucesso,

Tem quem viva de forma liberal,

Buscando um idílico progresso,

Outros conservam seus preconceitos,

Um loop, um infinito retrocesso,

E no caminho para o trabalho,

Mais um comprimido e um café expresso,

A busca constante pelo regresso a juventude,

Uma dose de botox e a solidão disfarçada de solitude,

Sem atitude!

Tomamos outra dose em busca de reação,

Química, química e mais química,

Até que pare o coração!

E se voltar a funcionar…

Mais remédios!

.

.

.

Felipe Hudson